Caminhada contra violência ‘dá gás’ para buscar políticas públicas para mulheres, diz secretária.

Na segunda-feira (11) múltiplos segmentos da sociedade de São Raimundo Nonato se uniram em prol da defesa da mulher e contra a violência todas as formas de violência contra a mulher. De acordo com as integrantes do evento, o ato teve por objetivo manifestar para a sociedade o sentimento de repúdio contra toda violência e principalmente contra a violência sexual, deixando claro que a união faz a força e que todos devem lutar pelos seus direitos.

 

A concentração do grupo aconteceu na praça da Igreja Matriz de São Raimundo Nonato e segurando cartazes com diferentes expressões contra a violência e a cultura do estupro, seguiu em marcha até a Praça do Abrigo. A Secretária de Políticas Públicas para Mulheres, Yapuema Carvalho, afirma que esse ato ‘deu gás’ para implementar políticas públicas para mulheres no município.

“Hoje as mulheres do território Serra da Capivara deram uma mostra do seu poder de organização e luta. Em marcha nós mulheres tivemos a participação de múltiplos atores sociais, desde servidores públicos, dos mais variados setores, a estudantes, secundaristas e universitários. Foi um momento de construção, um esboço do que virá mais adiante. Hoje as mulheres estão conscientes dos inúmeros tipos de violência contra a categoria mas o melhor é que estão mais cientes dos seus direitos. Infelizmente esse sentimento teve que vir a tona em forma de manifestação coletiva devido ao trágico acontecimento recente,  com uma pessoa próxima, fato que trouxe revolta e sentimento de mudança da condição de mulher no país. Essa marcha foi um marco e a partir de agora tomou-se gás para buscar e exigir a implementação de políticas públicas voltadas às mulheres, tanto pra coibir a violência, como para a emancipação feminina. Aqui começa uma nova história para nós, mulheres, do território da Serra da Capivara”, disse a secretária.

 

Diferentes depoimentos descreveram como foi o momento da manifestação:

“A Marcha foi brilhante, bastava ver a alegria e a emoção em cada rosto.Aos homens que contribuíram, deixo minhas sinceras estimas e agradecimento” Maria Silva professora da rede estadual de ensino.

“Fizemos barulho e incomodamos com nossos gritos, cartazes e força. As Pessoas que se fizeram presente estavam motivadas e foram fundamentais para o sucesso do movimento”, disse Marla, professora de história da Uespi.

“A união de todas fortalece ainda mais a nossa luta, foi um movimento espetacular”, Arlene Ribeiro.

O Grupo teve também o apoio da secretária de Trabalho e Assistência Social do Município (Semtas),  Altícia Ribeiro, e da equipe que compõe a pasta.

“A Secretaria da Assistência Social na condição de ser uma pasta voltada para a assistência a sociedade, como o próprio nome diz e também por ser uma secretaria com a maioria do quadro de pessoal formado por mulheres, não foi omissa, também abraça essa causa”.