Prefeitura de São Raimundo Nonato, CNA e Embrapa estreitam parceria

Uma parceria entre a Prefeitura de São Raimundo Nonato, Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) – por meio do Instituto CNA – e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) visa desenvolver ação com vista à produção de forrageiras nativas ou adaptadas às condições semiáridas.

Crédito da Imagem: Joaquim Neto

O projeto Forrageiras para o Semiárido – Pecuária Sustentável, irá avaliar o potencial produtivo e a adaptação das plantas forrageiras às condições climáticas do semiárido.

Para os participantes, o projeto traz potencial para atender a demandas de relevância na pecuária do semiárido. “É uma pesquisa que vem no momento certo, para nos dar a oportunidade de testar tecnologias em uma realidade, observando o ambiente local”, afirmou José João, técnico agrônomo que acompanhará a URT em São Raimundo Nonato.

O secretário de agricultura, George Castro, destacou a importância das pesquisas da Embrapa no apoio aos agricultores. “Parcerias como essa, envolvendo a pesquisa pública e o setor produtivo, só nos fortalecem”, relata o secretário.

Já a prefeita Carmelita Castro, destacou ser motivador o desafio de apresentar alternativas viáveis para que os agricultores consigam melhor produtividade na realidade de semiárido. “Será importante que o produtor veja, na prática, que a forma como ele trabalha no ambiente local pode melhorar”, ressaltou ela.

Além do município de São Raimundo Nonato, outras 11 Unidades de Referência Tecnológica (URTs), serão conduzidos experimentos para identificação das melhores variedades de forrageiras, sejam gramíneas ou leguminosas, que se adaptam melhor as condições de seca no semiárido. Os participantes acompanharão os trabalhos nas Unidades de Referência Técnica (URTs) do projeto, que testará, nos próximos dois anos, forrageiras tolerantes à seca.

Transferência de tecnologias

Além da pesquisa com as variedades e espécies vegetais forrageiras, o projeto também prevê o compartilhamento de informações sobre seus resultados. Como ferramentas para essa transferência de tecnologias, estão previstos dias de campo nas URTs, um futuro portal com experiências de sucesso.

Também está previsto o desenvolvimento de um aplicativo para ajudar produtores rurais a fazer orçamentação forrageira, facilitando tomadas de decisão sobre uso, conservação e reserva de alimentos para os rebanhos. O aplicativo levará em consideração a disponibilidade de forragem nativa e a demanda por alimentação dos rebanhos nas propriedades rurais.

Segundo a pesquisadora Ana Clara Cavalcante, da Embrapa Caprinos e Ovinos, a pesquisa nas URTs no semiárido fortalecerá ainda mais a base de dados para o desenvolvimento do aplicativo, permitindo opções adequadas às realidades locais. “O interesse é fazer com que o produtor tenha todas as condições de produção, mesmo em ambientes mais suscetíveis às secas”, frisou ela.

WhatsApp chat