Prefeitura de São Raimundo Nonato oferta curso de turismo rural para homem do campo

A Prefeitura de São Raimundo Nonato por meio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente realizou curso de treinamento em Turismo Rural para os moradores da localidade São Vitor, Zona Rural de São Raimundo Nonato.

O Curso foi  ofertado por meio de parceria entre a Prefeitura e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) –  que proporciona ao trabalhador rural mudança de vida através de ações gratuitas, contribuindo assim  para sua profissionalização, sua integração na sociedade, melhoria da sua qualidade de vida e o pleno exercício da cidadania. O treinamento teve  24 horas,teve início na quarta-feira (01) e encerrou nesta sexta-feira (03), foram dois dias de teoria e um dia de prática.

” Uma das metas da nossa gestão é a valorização do homem do campo, por isso estamos levando para  o trabalhador rural oportunidades. A SENAR é a escola que auxilia agricultores e pecuaristas por meio de ações, programas e projetos voltados para a sustentabilidade, e a oferta desse curso vem para somar e enaltecer ainda mais esses profissionais e as belezas naturais da região”, disse a prefeita Carmelita Castro.

O secretário municipal do Meio Ambiente, André Landim, explica que o curso foi ofertada primeiramente na localidade São Vitor devido aos atrativos naturais, mas em breve será ofertados em outras localidades. “Nesse primeiro momento o curso de Turismo Rural foi ofertado na localidade São Vitor devido os atrativos. Atrativos arqueológicos e paleontológicos. Há também a Lagoa, onde foram encontrados fósseis pelos alunos da Universidade Federal Vale do São Francisco (Univasf), sem falar nas questões gastronômicas. Além disso, é lá que está localizado um dos maiores complexos quilombolas do Brasil, o complexo Lagoas. A nossa ideia é que esse curso possa ser ofertado em outras comunidades”, explicou André Landim.

O encerramento do treinamento em Turismo Rural aconteceu com aula de campo na comunidade Lagoa dos Prazeres, na propriedade do Sr. Nezinho, presidente da Associação dos Produtores e Produtoras Agroecológicos do Semiárido Piauiense (APASPI), onde ele mostrou o processo produtivo do algodão orgânico aos alunos do curso. Momento único de troca de experiências de uma atividade que traz renda ao homem do campo.

 

 

WhatsApp chat